fbpx

Fisioterapia para Incontinência fecal

Você já perdeu gases, soltou pum, sem querer?

Ou já notou um borrão de fezes na calcinha sem perceber que havia escapado?

Se a resposta for sim para uma dessas perguntas, você pode ter incontinência anal ou incontinência fecal. Este é um sintoma que deve ser tratado, para que não piore com o decorrer do tempo e prejudique suas atividades sociais e seu dia a dia.

A incontinência anal é a perda involuntária de fezes ou gases. A incontinência fecal caracteriza-se pela perda involuntária de fezes sólidas ou líquidas, e pela perda de pequena quantidade (soiling) sem sensação ou aviso.  A incontinência de flatos é a perda involuntária de gases (pum).

Em alguns casos pode ocorrer uma urgência fecal, quando há desejo forte e urgente de defecar, difícil de ser adiado, e incontinência de urgência fecal ou de gases, quando ocorre perda involuntária de fezes ou gases associada ao sintoma de urgência.


Mulher corre para a privada do banheiro com papel higiênico na mão

Quais mulheres podem ter incontinência fecal?

  • Mulheres que apresentam mudança na consistência das fezes devido ao uso abusivo de laxantes e devido a doenças inflamatórias do intestino;
  • Mulheres que apresentam constipação intestinal, que pode gerar acúmulo de fezes;
  • Mulheres que passaram por cirurgias nessa região, para a retirada de tumores, por exemplo;
  • Mulheres que apresentam doenças neurológicas;
  • Mulheres que passaram pelo parto normal, principalmente aquelas que não prepararam o períneo antes do parto, causando lesão nos músculos e nervos do assoalho pélvico;
  • Mulheres que estão na menopausa, pelo enfraquecimento os músculos do corpo, inclusive os músculos do assoalho pélvico.

Como a Fisioterapia pode me ajudar a tratar a incontinência fecal?

O treinamento dos músculos do assoalho pélvico realizado no tratamento da incontinência urinária também é indicado para o tratamento dos pacientes com incontinência anal.

Desenho ilustrativo do assoalho pélvico feminino visto por baixo

Quando os exercícios são realizados com freqüência, a contração se torna mais fácil de ser realizada, além de se tornar mais efetiva para segurar as fezes e os gases nos momentos de desejo forte e intenso.

Desenho de mulher fazendo exercício para fortalecer o períneo
Eletroestimulador intra-anal, usado na fisioterapia para tratamento de incontinência fecal

Os exercícios para os músculos do assoalho pélvico podem ser realizados com o toque da fisioterapeuta, com a utilização de eletroestimulação intra-anal quando o paciente tem dificuldade de sentir e contrair essa região,  e por meio de exercícios funcionais.

Mulher fazendo exercício na bola se alongando com pesos

Mudanças no Estilo de Vida

O tratamento da incontinência anal também envolve algumas mudanças do estilo de vida que podem aliviar e melhoraros sintomas, tais como:

  • Adquirir o hábito de defecar em horários regulares diariamente, após o café da manhã, por exemplo;
  • Controlar alimentação , evitando alimentos que predispõe a mudança na consistência das fezes e o surgimento de gases;
  • Ingerir boa quantidade de líquido, aproximadamente 2l de água por dia e evitar ter constipação intestinal, mantendo um bom esvaziamento do reto;
  • Praticar atividade física sempre que possível, por contribuir para os movimentos peristálticos e para a evacuação;
  • Realizar massagem abdominal para contribuir para a evacuação regular, e sentar na posição correta no vaso sanitário para facilitar a evacuação.

Além disso, é importante que a paciente com este problema seja acompanhada por uma equipe composta por médico gastroenterologista e/ou proctologista e nutricionista, para que uma avaliação completa seja realizada, e permita o alcançe de um bom resultado no tratamento.

Vamos começar a cuidar deste problema? A gente te espera para te atender com todo carinho e atenção que você merece. Obrigada!

Open chat
1
Olá!
Posso te ajudar?
Powered by